EnglishFrenchPortugueseSpanish
EnglishFrenchPortugueseSpanish

URNM Impõe Medidas para Conter a Quarta Vaga da Covid-19

À semelhança do subsistema do ensino geral, o reinício das actividades lectivas a nível universitário, inicialmente previstas para o dia 03 do corrente, também, ficaram condicionadas, depois das férias de Natal, devido a quarta vaga da pandemia impulsionada com o surgimento da variante ômicron do SarsCov-2.

O aumento exponencial de casos a partir da segunda quinzena do mês Dezembro de 2021 suscitou do governo a adopção de medidas restritivas para conter o alastramento de casos em todo o país, de modo a acautelar o colapso da rede sanitária.

Com efeito, o novo Decreto Presidencial sobre a situação de calamidade pública suspende as aulas presenciais até ao próximo dia 16 do mês em curso, estando o seu reinício sujeito à avaliação epidemiológica da Covid-19.

Dados do Ministério da Saúde posicionaram Malanje como a segunda província com o maior número de casos, depois de Luanda, situação que colocou as autoridades e a população das terras da Palanca Negra Gigante em estado de alerta.

Da parte da Universidade Rainha Njinga a Mbande, as Unidades Orgânicas estão atentas ao evoluir da pandemia e vão continuar a instar a comunidade no sentido de redobrarem a guarda com vista a cortar a cadeia de transmissão do vírus.

A garantia é do Coordenador-Adjunto da Comissão Institucional de combate a Covid-19 da URNM. Mateus Gonçalves lembra que as medidas são aqueles contidas no decreto e que já vêm sendo aplicadas desde o início da pandemia.

“Os utentes deverão higienizar às mãos ao entrar no recinto das Unidades Orgânicas, um procedimento a ser observado agora com maior rigor, face ao contexto pandêmico actual, bem como a medição da temperatura corporal “.

De acordo, ainda, com o nosso interlocutor, o acesso às Unidades Orgânicas será apenas permitido a quem tiver o certificado de vacinação que atesta às duas doses exigidas.

No mesmo diapasão, o Mestre epidemiologista, Mateus Gonçalves, sublinha que a comunidade académica vai ser estimulada a manter o distanciamento físico, usar, de forma obrigatória e correcta, a máscara facial (tapando a boca e o nariz).

Outra medida preventiva espelhada no Decreto Presidencial tem a ver com a redução da força de trabalho na ordem dos 70% a 30%, em função da especifidade da área. Segundo Mateus Gonçalves, o assunto está a ser articulado junto dos Departamentos de Recursos Humanos das Unidades Orgânicas.

“Todas as funcionárias de limpeza que têm filhos menores de 12 anos estão completamente dispensadas do serviço, enquanto prevalecerem as medidas do decreto, exemplificou”.

Noutra vertente, Mateus Gonçalves admitiu que esta alteração de datas pode impactar no calendário académico, mas internamente, caso se justifique, serão efectuados os ajustes que se impuserem, visando salvaguardar os interesses dos estudantes, bem como atingir os objectivos preconizados.

Carlos Mendes
In Kamboma Mayele

Leave a Reply